Paixão Editores

Registro sobre o livro A Previdência Social em perguntas e respostas

Senhor Presidente,
Senhoras e Senhores senadores.

É com satisfação que registro o recebimento do livro A Previdência Social em perguntas e respostas de autoria do ex-deputado federal, Floriceno Paixão, em parceria com Luiz Antonio Paixão. A obra, que já está na sua 42ª edição, me foi entregue pela filha do Dr. Floriceno, a senhora Ana Maria Paixão. A idéia do saudoso Floriceno, desde a primeira edição, foi levar ao leitor o conhecimento da matéria
previdenciária de forma acessível, sem rigorismo ou formalismo, esclarecendo o tema com fundamento na legislação.

O livro está no esquema de perguntas e respostas, pois é através dessa forma simples que o leitor leigo encontrará maior facilidade para a compreensão de um assunto para ele complexo e confuso. O texto da apresentação é assinado pelos familiares e diz: Nos servimos, então, para prestar uma homenagem singela, porém revestida da mais pura sinceridade, a este cidadão que sempre lutou para melhorar a vida de todos os brasileiros, desde seu primeiro mandato legislativo federal, em 1959, na antiga capital.

Senhor Presidente, o meu sempre amigo Floriceno Paixão nos deixou no dia 24 de fevereiro de 2011, aos 91 anos de idade. Sempre que tenho oportunidade, seja em palestras ou seminários, eu lembro que a Lei do 13º Salário sancionada em 1963, pelo então presidente João Belchior Marques Goulart (Jango), foi originária de projeto de lei de Floriceno Paixão. Sem dúvida uma das maiores conquistas dos trabalhadores brasileiros. A sua atuação no parlamento foi voltada principalmente para as questões previdenciárias e trabalhistas. Sua voz foi incansável na defesa do patrimônio nacional, da reforma agrária e do direito de sindicalização dos servidores públicos.

 

Tive a honra de estar ao seu lado durante os trabalhos da Assembléia Nacional Constituinte de 1988. Foi ali que aprendi a respeitá-lo ainda mais pelo seu caráter, sua honradez e seu espírito de justiça social.

 

Era o que tinha a dizer,
Sala das Sessões, 13 de abril de 2011.
Senador Paulo Paim – PT/RS